terça-feira, 25 de março de 2014

Opinião - Primeiro Amor

Ficha Técnica:
Autor: James Patterson
Título Original: First Love
Páginas: 288
Editor: TopSeller
ISBN: 9789898626295
Tradutor: ?

Sinopse:
Baseado em acontecimentos reais da vida de James Patterson.

Axi Moore era uma aluna aplicada. Mas não gostava de dar nas vistas e não contava a ninguém que o que realmente desejava era fugir de tudo. A única pessoa no mundo em quem confiava era Robinson, o seu melhor amigo, por quem estava secretamente apaixonada.

Quando finalmente decide seguir os seus impulsos e quebrar as regras, Axi convida Robinson para a acompanhar na sua longa viagem. Uma jornada intempestiva, marcada pela paixão oculta e pelo desejo de descobrir o mundo. Mas o que no início era apenas uma aventura livre e despreocupada em breve vai tomar um rumo perigoso e incontrolável. Envolvidos numa sucessão de acontecimentos violentos e dramáticos, os protagonistas são colocados à prova das mais variadas formas. Poderá a primeira grande paixão das suas vidas sobreviver a tudo, até que a morte os separe?

Um romance notável e extraordinariamente comovente, inspirado no próprio passado de James Patterson. Um testemunho impressionante sobre a força do primeiro amor e as suas consequências para o resto das nossas vidas.

Opinião:
Quando li a sinopse deste livro, fiquei curiosa, até porque, apesar de nunca ter lido nada do autor, ouço falar bem dos seus outros livros publicados pela Topseller. Tendo em conta que não me apetecia meter em mais nenhuma série (e sei que este tipo de livro não tem nada a ver com os outros), pensei: porque não? A sinopse parece indicar algo relativamente épico, uma viagem com contratempos, dramatismo, violência e afins. A sensação com que fiquei é que fui completamente enganada.

Talvez o motivo para não ter gostado muito do livro seja o facto de ele não ser propriamente aquilo de que estava à espera, mas não me parece que essa tenha sido a única parcela na equação. Sinceramente, achei as personagens fraquinhas e não consegui sentir qualquer tipo de empatia com elas. Não é a primeira vez que leio um livro em que as pessoas têm uma doença ou passaram por algum problema na sua infância, como abandono ou pais alcoólicos. Caso fosse a primeira vez, poderia dizer que eu sou insensível, mas a verdade é que já li livros com estas características que me fizeram chorar baba e ranho. Por isso, o defeito não é meu.

É um livro com uma história simples, uma escrita simples e uma linguagem simples. Sinceramente, não houve nada que me fizesse sentir agarrada do início ao fim. As páginas passam rapidamente, mas, quando chegamos ao final, a sensação que fica é: "É isto?". Não há muito que eu possa dizer acerca do livro. Ele não é propriamente bom ou propriamente mau, é simplesmente um livro que achei extremamente básico na sua concepção. Estava à espera de mais verdades reveladoras, mas a verdade é que estas não acontecem. Os protagonistas fazem asneiras umas atrás das outras e justificam-no com viver a vida. Não é algo que ache anormal, tendo em conta que hoje em dia os jovens todos pensam assim. Mas, para mim, sempre foi e há de ser estúpida esta atitude de vamos fazer porcaria até cair para o lado, porque não é isso que é aproveitar a vida e o momento.

Não há muito que possa dizer, porque o livro, na verdade, não tem muito por onde se lhe pegar. Vou considerar ler outra obra do autor, para, pelo menos, não ficar com a ideia de que anda toda a gente a tentar enganar-me. Ao fim e ao cabo, todos merecem uma segunda oportunidade.

(Livro lido em parceria com o Segredo dos Livros)

2 comentários:

  1. A minha opinião é praticamente a mesma que a tua.
    Um dia tento qualquer coisa de diferente deste autor. Não gosto de desistir à primeira.

    Bjinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Somos umas raparigas persistentes! Hehe

      Eliminar