segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Opinião - Inverno de Sombras

Ficha Técnica:
Autor: L. C. Lavado
Páginas: 590
Editor: Marcador
ISBN: 9789898470867

Sinopse:
“Todos ficam sujos de sangue e há sempre alguém que morre.”
Este é o lema de Danton.

Filho de dois poderosos feiticeiros, inimigos de séculos, a existência de Danton é apenas mais um golpe de guerra entre os pais. Criado e aperfeiçoado por Amauri e Goulart, é temido por todos, incluindo os próprios.

Em Lisboa, uma misteriosa Caixa detém um poder que a família Santa-Bárbara guarda há gerações.
Isadora é a última descendente de uma linhagem de Paladinos, herdeira solitária de um império cultural e um legado que desconhece. Ela e o tio, Garrett, são tudo o que resta para proteger este grande segredo.

Mas Danton está decidido que é chegada a hora do poder da Caixa lhe pertencer, e as vidas dos Santa-Bárbara vão alterar-se para sempre.

Feitiçaria, magia, segredos e uma história de amor inesquecível, percorrem alguns dos lugares mais conhecidos de Lisboa e a zona mais sinistra de Paris.
O passado colide com o presente e tudo acontece… mas não como todos esperam.

Pela escritora revelação da fantasia urbana portuguesa.
Uma história cativante que vai fazer as delícias dos leitores mais exigentes.

Opinião:
Ouvi falar bastante bem deste livro, e sendo escrito por uma autora portuguesa, mais tarde ou mais cedo sabia que o teria que ler.

No geral é um livro bastante bom. Nota-se que é um primeiro livro, mas nota-se também um grande potencial na autora, potencial esse que sendo trabalhado iria tornar os seus futuros livros ainda melhores e mais coesos.

Houve vários aspectos que gostei no livro e outros que me deixaram um pouco desiludida, como de certo modo seria de esperar. Contudo o balanço final foi positivo. Gostei bastante dos personagens e das suas personalidades. Principalmente Isadora, vê-se um grande crescimento desta personagem a nível de personalidade. Enquanto que ao início a Isadora é uma pessoa bastante calma e distanciada da vida, ao longo do livro vemos como ela se vai abrindo mais para os outros, como começa a viver mais os seus sentimentos e deixa de se proteger atrás de paredes e paredes. A sua evolução foi natural ao longo da narrativa e em nenhum momento senti que estava a lidar com uma personagem completamente diferente da inicial.

Já o Danton é apresentado como alguém intratável, mas existe sempre ali uma sombra de dúvida sobre o que realmente se está a passar, e a verdade é que essas dúvidas acabam por se tornar certeiras quando nos apercebemos do tipo de pessoa que ele realmente é. Já a Andrea, a melhor amiga da Isadora é alguém que desde o início até ao fim sabe o que quer, pelo menos na maior parte das situações, está sempre no controlo e não tem qualquer tipo de problema em mostrar o que sente ou dizer o que pensa.

As restantes personagens são também bem pensadas e construídas. Muitas delas ficamos a conhecer melhor através de flashbacks que por sinal funcionaram bastante bem e deram uma dimensão muito maior à história. História essa que teve início à mais tempo do que se poderia imaginar. Não só a autora fez um bom trabalho a incorporar os flashbacks, como também fez um óptimo trabalho com os dois clímax que deu ao livro. Já me tinha acontecido anteriormente apanhar uma situação destas que resultou pessimamente e me tirou metade do gozo à leitura. Neste caso a autora optou por "dividir" a história em livro um e livro dois e colocou um clímax em cada uma das partes. Sendo que no final da primeira ficamos mesmo a sentir que chegamos ao fim da primeira parte da história.

Não posso deixar de falar das cenas de sexo que existem, quando a primeira apareceu fiquei algo receosa como seria descrita, mas acho que foi bastante bem trabalhada. Não pareceu em nada descabida, pelo contrário, pareceu-me bastante natural tendo em conta os personagens que eram. Os diálogos estão também bastante naturais e o mundo criado pela autora está bem estruturado e é interessante.

Quanto aos pontos menos positivos, têm essencialmente a ver com determinados assuntos que foram abordados, mas que me recorde nunca chegaram a ser devidamente esclarecidos. Nomeadamente o que é efectivamente a Isadora, tudo bem que percebemos que há ali algo, mas nunca nos chegam a dizer efectivamente o que esse algo é. Ao mesmo tempo há aqui toda uma história à volta da chave e da sua relação com a família da Isadora que teve uma explicação um pouco atabalhoada. Para finalizar, a situação da transferência das memórias do Danton. Pela explicação inicial pareceu-me que automaticamente ele iria ficar sem as ditas memórias, mas depois pareceu simplesmente que tanto ele como a Isadora passaram a partilhá-las. Eventualmente também podia estar meio a dormir quando terminei o livro e me ter escapado alguma coisa. Mas se escapou é porque eventualmente não estaria muito claro.

Assim sendo só tenho a concluir que foi um livro inicial do qual gostei bastante. Soube que eventualmente poderia ter vindo a existir um livro sobre a Andrea e o Claude que não chegou a acontecer e que não sei se alguma vez virá. Se vier é com toda a certeza que o lerei e com a esperança de que as arestas que faltaram limar neste livro se encontrei limadas.

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Opinião - Tales from the Shadowhunter Academy

Ficha Técnica:
Autor: Cassandra Clare, Sarah Rees Brennan, Maureen Johnson e Robin Wasserman
Páginas: 672
Editor: Margaret K. McElderry Books
ASIN: B01BKR47L4

Sinopse:
The New York Times and USA TODAY bestselling collection of short stories chronicling the adventures of Simon Lewis as he trains to become a Shadowhunter is now available in print for the first time with ten brand-new comic illustrations!

Simon Lewis has been a human and a vampire, and now he is becoming a Shadowhunter. The events of City of Heavenly Fire left him stripped of his memories, and Simon isn’t sure who he is anymore. So when the Shadowhunter Academy reopens, Simon throws himself into this new world of demon-hunting, determined to find himself again. Whomever this new Simon might be.

But the Academy is a Shadowhunter institution, which means it has some problems. Like the fact that non-Shadowhunter students have to live in the basement. At least Simon’s trained in weaponry—even if it’s only from hours of playing D&D.

Join Simon on his journey to become a Shadowhunter, and learn about the Academy’s illustrious history along the way, through guest lecturers such as Jace Herondale, Tessa Gray, and Magnus Bane. Written by Cassandra Clare, Sarah Rees Brennan, Maureen Johnson, and Robin Wasserman, these moving and hilarious short stories are perfect for the fan who just can’t get enough of the Shadowhunters.

Opinião:
Não, não li o livro. Li os contos individualmente tal como se encontram publicados de momento. Contudo é muito mais simples ir buscar uma imagem e os dados de um único livro do que fazê-lo para 10. Assim sendo optei por fazer a opinião ao livro porque na realidade li os contos como se fossem um.

Nesta colectânea de histórias ficamos a saber o que é feito de Simon após o final de A Cidade do Fogo Celestial. Por esta altura já sabemos que Simon perdeu a memória, mas que Magnus o ajudou a recuperar parte delas. Contudo a maior parte delas ainda está em falta, e é uma luta para Simon estar perto de pessoas que o conheciam e que esperma determinadas atitudes e reacções dele quando ele já não é a mesma pessoa que era.

Grande parte dos contos faz referência a esta situação. Vemos um Simon mais debilitado e com vontade de se redescobrir, contudo ao longo das histórias Simon vai ganhando mais confiança, vai começando a perceber que continua a gostar das pessoas das quais já gostava e que se calhar não é tão diferente actualmente daquilo que era anteriormente. Sendo uma personalidade proeminente no mundo Shadowhunter por tudo aquilo que fez, através das suas atitudes e da sua maneira de estar, Simon consegue alterar os comportamentos e percepções que os Shadowhunter têm dos outros mundanos, fazendo com que todos se tornem num grupo coeso.

Durante a história este faz bons amigos, principalmente George, um mundano que cresceu numa família de Shadowhunters. Há quem diga que a autora optou pela saída mais fácil tendo em conta o que acontece no final. Não achei isso. Durante a história nunca achei que a amizade de Clary e Simon pudesse estar em risco e que este estivesse dividido entre ser parabatai da Clary ou do George. Contudo concordo que não havia necessidade de acontecer o que aconteceu. A autora poderia ter optado por mostrar o quão difícil é a ascensão sem ter tomado o caminho que tomou. Acho que foi mais para criar impacto do que outra coisa. Comigo não funcionou muito bem porque me cheirou um pouco a falso.

Quanto aos acontecimentos, não só ficamos a conhecer o que se passa no presente como ficamos ainda a conhecer alguns factos do passado. É-nos mostrado um pouco mais da história de James, nomeadamente de como este encontrou o seu Parabatai e de como descobriu os seus poderes. Ficamos a conhecer mais da história de Valentine e a perceber um pouco mais o pai de Alec através das suas memórias do que era estar no círculo. Existem outras histórias bastante interessantes, algumas delas contadas por Catarina e outras vivenciadas no presente, como a história de Helen e de Marck.

Apenas um dos contos é contado de um ponto de vista que não o de Simon, e neste caso é o de Magnus. O que acontece neste conto é simplesmente adorável e soberbo, levando a que a família Lightwood se una e se comece a formar uma espécie de aceitação entre os seus diferentes membros. Ao mesmo tempo este acontecimento ajuda a que Magnus se aceite um pouco mais e continue a perceber o quão importante Alec é para si e quão importante é viver o agora sem remorsos e sem medos.

Uma colecção de histórias bastante interessantes que me deixou com vontade de conhecer mais personagens e a sua história. Pena é que os personagens que quero conhecer, nomeadamente James, não tenham a sua história contada para já. Ainda falta uns aninhos até conseguir ver a minha curiosidade satisfeita.

sábado, 3 de dezembro de 2016

Opinião - Anti-Stepbrother

Ficha Técnica:
Autor: Tijan
Páginas: 321
ASIN: B01KSW4QJA

Sinopse:
He told me to settle.
He asked what was wrong with me.
He called me an easy target.
That was within minutes when I first met Caden Banks.
I labeled him an *sshole, but he was more than that. Arrogant. Smug. Alpha.

He was also to-die-for gorgeous, and my stepbrother’s fraternity brother.

Okay, yes I was a little naive, a tad bit socially awkward, and the smallest amount of stalker-ish, but if Caden Banks thought he could tell me what to do, he had another thing coming.

I came to college with daydreams about being with my stepbrother, but what if I fell for the anti-stepbrother instead?

Opinião:
Este livro veio-me parar às mãos do nada. Vi o título e senti-me bastante curiosa, assim sendo decidi pegar nele porque me estava mesmo a apetecer um livro deste género.

Adorei tanto a personalidade da Summer como a do Caden. A maneira como a sua amizade se inicia é um bocadinho cliché, mas não pareceu forçada. Possivelmente porque apesar de ele se portar como um idiota dá para perceber que no fundo ele é um rapaz com princípios, leal e que sensível. A autora fez também um bom trabalho com as construção da relação dos personagens. Começa por ser algo pontual e aos poucos vai crescendo, passando a ser uma amizade bastante forte em que ambos se compreendem perfeitamente e estão lá um para o outro sem qualquer tipo de holding back. E apesar de existir bastante tensão sexual a verdade é que ambos estão contentes com a relação que têm e tiram bastante partido dela, sem qualquer tipo de ressentimento. Claro que quando finalmente sedem à tensão a coisa pega fogo, mas foi uma coisa natural e nada forçada.

De qualquer modo das coisas que mais me cativaram foi mesmo as personalidades destes dois personagens. A Summer ao início é bastante insegura, quer permanecer no anonimato e as suas capacidades sociais são bastante dúbias. Com a ajuda do Caden e de mais uns quantos personagens a Summer acaba por se tornar uma pessoa mais confiante, capaz e continuar com capacidades sociais um bocado estranhas. Digo isto porque a Summer tem um tipo de humor muito específico que a maior parte das pessoas não compreende, o que leva a que seja um pouco awkward socialmente. Em contrapartida eu adorei o seu humor e a maneira como arranjar sempre qualquer coisa para dizer, mas como sabe também quando ficar calada e transmitir aquele apoio silencioso que por vezes é tão precioso.

Quanto ao Caden, ele é bastante reservado e não faz nada de propósito para chamar a atenção. Mas a realidade é que toda a gente o admira e olha para ele à procura do que fazer. Foi engraçado ver como ele e a Summer se complementam tão bem apesar de terem personalidades que parecem ser tão diferentes. Não posso deixar de falar no Marcus, o irmão do Caden, que ao início dá vontade de lhe dar dois pares de estalos por ser tão parvinho, mas que acaba por se mostrar uma pessoa em condições. Ou então no Diego, super divertido e com um coração enorme, uma pessoas que toma conta dos seus e que aceita cada cada um como ele é. E o Colton, uma pessoa com problemas, mas com uma força enorme, sempre a tentar ficar melhor e ser melhor. O Kevin não devia sequer merecer uma referência, mas para o final ele lá se tenta redimir e por isso leva uns pontinhos.

O engraçado acerca deste livro é que não existiu um grande segredo, ou um passado obscuro que tenha vindo prejudicar a relação dos dois personagens. Também não temos propriamente aquela situação em que uma das personagens se retrai devido a algo que a tenha marcado no passado. Existe um segredo, é verdade, mas ele não leva a que surjam problemas entre o casal, pelo contrário, torna a sua relação mais forte. Existe realmente uma altura em que os personagens se vêm obrigados a manter alguma distância um do outro, mas isso acontece não porque se tenham magoado um ao outro, mas sim porque há uma necessidade e aceitação de ambas as partes de que existem determinadas situações que precisam de ser digeridas para que possam ter uma relação saudável.

A única coisa que não gostei muito foi do facto de serem descritos determinados comportamentos característicos das fraternidades que a mim não me disseram nada e ainda me deixaram confusa. A autora poderia ter explicado o sentido daquilo que estava a descrever para os leigos não se sentirem tão parvinhos. Enfim....

Um bom livro que cumpre aquilo que promete. Fiquei com curiosidade de ler mais obras desta autora.